Como Avaliar meu vinho? 4 passos que deverá realizar.

Postado em por

Como avaliar meu vinho?

Prestando atenção em seus órgãos dos sentidos você se aprimorará na percepção das qualidades e
defeitos dos vinhos que degustar.

Avaliar meu  vinho … muitas vezes parece uma tarefa complexa e que amedronta muitos.

Pois afinal de contas, como se faz para aprender a falar de tantos “cheiros” como fazem muitos??

1. Visão: veja se a cor é bonita, límpida, transparente… Se não existe nenhuma matéria “passeando
pelo vinho” que lá não deveria estar, a viscosidade do vinho, como chora, se fraca ou copiosamente.

2. Olfato: DICA: a real  constatação  do exame olfativo só termina após a deglutição.

Portanto, tente perceber o “perfume” que o vinho exala no copo  (aroma para os jovens – bouquet para os mais maduros)
concentre-se no perfume exalado quando estiver com o gole do vinho em sua cavidade bucal; pois o calor da “câmara aquecida”, aumentará a percepção dos aromas…

– Por último degluta este gole,  solte o ar que subirá pela via retro gustativa e retro nasal e novamente preste atenção nestes aromas
tentando associá-los a situações de seu cotidiano.

3. Tato: sensações táteis – com a ajuda da mucosa da língua e da boca perceberemos as sensações
térmicas (temperatura); pseudocalóricas (álcool); adstringentes (taninos, antocianos…); de pungência
(sensação  mais evidente nos vinhos frisantes, espumantes e champanhes);  a de untuosidade
e sensações de consistência (sensação do corpo do vinho).

4. Audição: quando escutamos o tilintar para brindar a saúde e quando colocamos o ouvido próximo
a um flüte (copo) correto de degustação, com um bom champanhe ou um bom espumante.

Escutando assim, o envolvente barulhinho, que fará o “perlage”, ou seja as  “bolinhas” destes vinhos subindo
do chão do copo para a boca do mesmo…

Dica olfativa
– Cheire tudo que puder… Faça um arquivo olfativo em sua memória.
– cheire as ervas e especiarias como manjericão e alecrim…
– cheire as orquídeas
– as rosas
– as frutas nas diversas fases: verde, fresca,
no ponto, madura, muito madura…
O exame olfativo é “subjetivo”mas não é isento
de avaliação qualitativa.

Lembre-se que o
exame olfativo só termina após a avaliação
“gustativa” ou melhor após a degustação do vinho.

Como escolher o vinho, como influenciará em minha Saúde?